28 dezembro 2013

Give me a reason!




Existem 4 porquês na língua portuguesa. Por mais que eu tente aprender como usá-los eu nunca aprendo. No início deste ano pedi a minha professora que desse uma revisão a respeito do assunto e já não me lembro mais qual a diferença entre porque, por que, porquê, por quê. 

Além do meu nítido problema em empregar corretamente os porquês na escrita, surgiu também o problema com a frequência com que uso o porquê oralmente. A culpa não é minha. Foi outro professor, o de filosofia, lembro-me como se fosse hoje "vocês tem que perguntar o porquê das coisas!!!", daí eu achei que fazia sentido. Só depois de alguns anos com as pessoas me explicando que certas coisas não tem porque (não me preocupo em usar porquês de forma errada neste post) foi que fui me livrando do hábito - principalmente nas aulas de matemática e inglês.

Mas eu não vim até aqui para tratar de questões gramaticais nem contar histórias da escola. Queria poder falar sobre motivos, sobre coisas da vida, o que deixamos ou não de fazer e porquê, e sobre o porquê de querermos o porquê das coisas. Deve ter começado com os filósofos se questionando a origem do universo ou muito antes com Eva se perguntando diante de um fruto "porque não?!", hoje perguntamos várias coisas a todo o momento, geralmente porque as perguntas antecedem decisões e nos ajudam a escolher entre as opções que temos - e por vários outros motivos.

Por fim, de todas as perguntas já feitas, as mais importantes são, sem dúvida nenhuma, as que não são feitas.

2 comentários:

  1. 啊哈,西班牙語看起來好深奧喔。

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha you're cute, Laquan! :)
      Portuguese is really like spanish... Chinese is also an esoteric language to me ^^

      Excluir

As opiniões expressas nos comentários não refletem a opinião da autora deste blog e são de exclusiva responsabilidade de quem os escreveu.

Se quiser fazer contato de outra forma vá na página contato.